A vida é como ela é e não como a gente quer

Vida, como vai? Ouvi dizer que você anda deixando gente doida por aí. Entorpecendo a mente alheia com milhares de reviravoltas e acontecimentos inesperados. Como assim? Não era o combinado. Tínhamos um plano, lembra? Era só você seguir. Mas, não. Você  desconsiderou tudo! No que dia em que eu esperava o sol, você trouxe a chuva. Quando estava chegando ao destino, furou meu pneu. Na viagem para a Argentina, me assustou com o terremoto, na para os Estados Unidos, com a alta do dólar. No dia da festa, me presenteou com a espinha, no casamento da minha amiga, com uma puta dor de barriga, além de outras mais, que você deve bem lembrar. Ih, foram tantas surpresas.

No dia em que choveu, eu não esperava ir ao cinema com aquele amigo, que virou meu namorado. Eu gostava do João! Jamais iria me apaixonar de novo. Também não esperava ter que aprender a me virar sozinha na estrada. No dia em que o pneu furou, nem celular pegava. Tive que me virar nos 30, 40 e 60. Nem caminhoneiro que adora uma cantada parava. No dia da festa, não imaginava que ainda fosse capaz de me sentir bonita mesmo com uma cratera no meio da cara. Por que isso? Espinhas deveriam nos deixar nojentas. Cancelar minhas viagens muito menos deveriam fazer com que eu realmente visse o quanto é importante ficar em casa. Eu gostava de passar um certo tempo longe. Eita, vida. Por que fez isso? Quando meus amigos vieram me contar de todas as mudanças que você tinha aprontado com eles, foi que eu me dei conta que meus rumos também foram traçados de uma forma que eu nem queria, ou esperava.

Quanto tempo teve que passar até eu enxergar que eu e você não estávamos mais seguindo os mesmos passos?  Quantas vezes eu me vi lutando e correndo contra o que você já tinha estipulado? Que doidera isso tudo. Eu, que nem acredito em destino, vi as coisas mudando numa fração de segundos e me assustei. “Peraí, isso não tá como planejei”.  E foi aí que eu finalmente entendi que não sou não sou sua dona, vida. Você não é minha vida. Você é simplesmente A VIDA. Minha e de todos. E tem suas razões, seja elas quais são, para nos tirar da zona de conforto, para nos ensinar lições, nos mostrar o bem e o mal. E, sabe o mais estranho disso? É quando você vai lá e muda tudo, no final das contas, fomos nós mesmos que, no nosso livre arbítrio, optamos por fazer diferente. Vai entender.

Enfim, vida, independente de todas essas milhares de descobertas e das nossas diferenças, eu queria mesmo te dizer obrigada.  Obrigada por mudar meus caminhos para melhor, mesmo que eu só descubra isso depois. Obrigada por fazer parte de mim e das pessoas ao meu redor. Sem seus ensinamentos, eu nada seria. E, mais ainda, obrigada por me permitir viver. Você é sobrenatural, vida. Você é incrível. Você é meu ser.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s