Onde quer que você esteja

Oi, eu não sei onde você está. O que está fazendo, se estão cuidando bem de você por aí. Só sei que, por mais que não seja justo dizer, eu estou com saudades. Com muitas saudades. Hoje eu senti tanto a sua falta que meu peito chegou a doer. Achei que fosse morrer. Egoísmo meu, eu sei. Mas doeu mais do que o normal. O tempo, que deveria ser amigo e fazer a gente acostumar com a falta, às vezes faz a gente lembrar. E isso é tão traiçoeiro.

Foram momentos de angústia, de muito aperto ao lembrar dos seus olhos cor do céu, do seu cheiro de mel, do seu sorriso amável, do seu colo confortável. Do beijo estalado, do abraço apertado. Das suas mãos mágicas que me faziam adormecer no cafuné e tão quentinhas que me esquentavam a alma. Do amor que eu sentia ao simplesmente ver o seu rostinho. Da sensação de paz e segurança que eu tinha sentada na poltrona do canto da sala aos domingos.

Pensei que já faz um tempo que não colecionamos histórias. Pensei que acabaram as brigas para primeiro chorarmos e depois darmos risada. É estranho pensar que acabou. Que o fim chegou. Que aquele foi todo o tempo que tivemos – e que ficou na memória. Me culpei porque, por mais que tenhamos vivido muito, senti que foi pouco. Me culpei porque acho que eu poderia ter feito mais.

Talvez você tenha ido sem saber o que eu aprendi com você. O que me deu. O que me fez. Será que você imagina? Será que vai saber um dia? Que foi por você que muitas vezes eu continuei e que lutei. Que foram seus valores que trilharam meus caminhos, minhas escolhas. Que por você, eu aprendi a ser mais forte. A amar mais. A ter compaixão, pureza, a ser verdadeira. Eu não sei se um dia alguém chegou a te dizer, mas eu sou um reflexo perfeito de você. Porque eu quis ser.

Foi você que me ensinou a gostar de chá de erva cidreira, a ter tara por bolo de fubá, a trocar o doce pelo jantar. Foi você que me ensinou que melhor que mar ou piscina, é tomar banho de mangueira, que subir no pé de manga supera qualquer parque de diversão. Você que me mostrou o encanto do canto dos pássaros, a ter amor pelos animais, a lutar pelos meus ideais. A não ter sempre razão. A aceitar o não. A me desafiar mais. A me amar. Você que me mostrou que resistência se tem plantando bananeira e que não dá para tapar o sol com a peneira. Foi você que me ensinou a me defender dos meninos mais velhos. A enfrentar meus medos. A ser mais mulher. A ter crença. A ter fé.

Onde quer que você esteja, eu espero que não seja tarde para dizer que foram seus passos que eu segui. Seus exemplos que eu levei para mim e que é a você que eu devo toda a minha vida. Que foi só por você que eu cheguei até aqui. Que é de você que eu tenho mais orgulho. Que ser sua neta sempre foi o melhor dos mundos. Obrigada, mil vezes obrigada por todo o aprendizado. Por ter me dado a oportunidade de crescer ao seu lado. Por ter sido a minha segunda mãe, minha amiga, minha companheira e a minha criança em forma adulta a quem eu mais amei cuidar no fim da vida. Eu só desejo te encontrar de novo, minha querida. Nesta ou em outras vidas.

Anúncios

Um comentário sobre “Onde quer que você esteja

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s